Stivale Brasil, empresa de Importação e Exportação de produtos que oferece produtos de qualidade diferenciada, a preços competitivos, com garantia na utilidade, rapidez na entrega e excelência no atendimento.


2011-05-31


Um terço do projeto original deve passar por adequações

Um terço do projeto original deve passar por adequações

Trecho de 30 km será novo leito da BR-153. Ideia é retirar tráfego pesado de perímetro urbano

Aproximadamente um terço do projeto original do antigo traçado do anel viário, ligando a BR-153, na altura da indústria Mabel, à BR-060, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na saída para Anápolis, deve ser refeito. Esse desvio, de cerca de 30 quilômetros, será o novo trecho da BR-153, para onde será desviado o tráfego de veículos pesados que atualmente passam pelo perímetro urbano de Goiânia e Aparecida. O projeto do novo traçado da rodovia, que O POPULAR havia antecipado na edição de ontem, foi anunciado à tarde pelo superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Alfredo Soubihe Neto.

Soubihe causou polêmica e provocou reação da Prefeitura de Goiânia e da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) quando declarou ao POPULAR, na edição de domingo, que o anel viário de Goiânia - obra iniciada há 15 anos e paralisada desde 2001 - "não existe mais, morreu". O secretário de Planejamento, Roberto Elias, e o presidente da Ademi, Ilézio Inácio Ferreira, defenderam que a obra seja concluída, depois que o projeto sofrer adequações e tiver sua execução liberada pelo Ministério Público Federal (MPF).

Ontem, Soubihe informou que cerca de 70% do projeto original, ligando a BR-153 à BR-060, devem ser aproveitados. "Serão feitas pequenas adequações, até porque o traçado terá alteração e o projeto original é bastante antigo", justificou. Soubihe disse que aguarda apenas que a empresa responsável pelo projeto apresente as adequações. "Quando isso for feito, procuraremos o MPF para assinar o termo de ajustamento de conduta (TAC) e buscar recursos para iniciar a obra no início de 2012", disse Soubihe.

Pelo que já está acertado nas negociações com o MPF, o trecho da BR-153 que hoje atravessa o perímetro urbano de Goiânia e Aparecida de Goiânia e que funciona como uma grande via urbana, será repassado às prefeituras dos dois municípios. Além de assumir a manutenção de sua parte, diz o secretário Roberto Elias, o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, autorizou que a Agência Municipal de Obras (Amob) faça o projeto de outro trecho do antigo anel viário, ligando a BR-060, na altura da fábrica Eternit, até a GO-070, saída para Inhumas, numa extensão de 12 quilômetros. "Temos todo o interesse em que a obra seja feita", disse o secretário.

Depois de viabilizado o projeto para o novo traçado da BR-153, virá a fase mais difícil: assegurar recursos para a obra, orçada em R$ 220 milhões. Como ela foi interrompida por suspeita de sobrepreço - depois descartada pela Justiça Federal - mas ainda permanece sub judice, não recebe recursos de programas do governo federal. "Já temos compromisso de nossa bancada de inclusão de emendas no orçamento da União", diz Ilézio Inácio.

O coordenador do Fórum da Engenharia Goiana, Dolzonan da Cunha Mattos, diz que para a retomada da obra é necessário um grande esforço, envolvendo os governos municipais, estadual e federal. "Urge que esse desvio seja feito, independentemente de outras obras que virão", diz.

Fonte: O Popular - Carla Borges
 




Veja mais...