Stivale Brasil, empresa de Importação e Exportação de produtos que oferece produtos de qualidade diferenciada, a preços competitivos, com garantia na utilidade, rapidez na entrega e excelência no atendimento.


2011-05-10


Os parques urbano-ambientais de Goiânia impressionaram o representante europeu da cidade de Florença...

Parques de Goiânia inspiram a cidade italiana de Florença

Na Colômbia, prefeito Paulo Garcia apresenta experiência da Capital em desenvolvimento urbano e responsabilidade ambiental. Modelo goianiense impressiona representantes de municípios da América Latina, Caribe e Europa

Os parques urbano-ambientais de Goiânia impressionaram o representante europeu da cidade de Florença durante a explanação do prefeito Paulo Garcia no Encontro “Rede Urbelac: Cidades Sustentáveis”, que ocorre na cidade de Cartagena das Índias, Colômbia. Agora, a experiência da capital goiana em desenvolvimento urbano aliado à responsabilidade ambiental pode fazer com que unidades semelhantes às de Goiânia sejam construídas na Itália. A reunião internacional termina hoje.
Além de exposição verbal, os 25 parques de Goiânia foram apresentados ontem pelo prefeito por meio de vídeo e materiais impressos. Paulo Garcia explicou aos representantes de cidades da América Latina, Caribe e Europa que aumentar de seis para 25 o número de parques em apenas sete anos foi possível graças à política de compensação ambiental criada pela Prefeitura de Goiânia. Com objetivo de compensar os efeitos de impactos ambientais das construções nas imediações dessas áreas, o poder público municipal estabelece que as próprias construtoras financiem as obras dos parques.
“As pessoas ficaram impressionadas. O representante europeu da cidade de Florença, inclusive, pediu o livreto ‘Goiânia, cidade dos parques,’” conta Paulo Garcia. Outros seis parques estão em construção na cidade: Campinha das Flores, Baliza, Nova Esperança, Bernardo Ellis, Vale dos Sonhos e Brisas da Mata. Mas não foi apenas Florença que de demonstrou interesse pelo modelo goianiense.
A prefeita da cidade de Trujillo, no Peru, se interessou em conhecer o Plano Diretor de Goiânia. Madri e Bilbao, na Espanha, também demonstraram interesse no modelo de desenvolvimento urbano-ambiental que vigora na Capital de Goiás. “Estão interessadas em processos que nós utilizamos para trocar experiência. Até porque, as realidades são semelhantes em alguns aspectos,” esclarece Paulo Garcia.

Apresentação
O Programa Urbano Ambiental Macambira Anicuns (Puama), a coleta seletiva porta a porta, o novo Parque Mutirama e o projeto de reflorestamento urbano que já distribuiu mais de 1,4 milhão de mudas aos moradores da cidade tiveram destaque na apresentação de Paulo. No encontro “Rede Urbelac de Cidades Sustentáveis”, o prefeito falou ainda sobre os desafios para melhorar a mobilidade urbana da cidade e trocou experiências com o representante da cidade de Madri em busca de garantir melhor aplicabilidade do projeto de parquímetros, que está em execução.
Paulo procurou entender com profundidade como funciona a delimitação das áreas, se é sistema de concessão ou exploração pública e qual a destinação dos recursos. “Ao observa a experiência, os problemas que eles viveram, nós podemos avançar com maior tranqüilidade,” pondera. O sucesso da experiência de Madri, concebida a partir de discussões com representantes da sociedade civil, academias, poder público e entidades sociais organizadas, inclusive motivou Paulo Garcia a fortalecer o recém-criado Conselho Social de Desenvolvimento Econômico.
“Nos encorajou a fortalecer o conselho para discussão desse tema. É um problema complexo porque gera mudanças nas regras de logística. A lei, do vereador Iram Saraiva, foi aprovada. Agora, temos seis meses para normatizá-la.” Além dos parquímetros, entre os projetos que chamaram a atenção do prefeito estão os relacionados com menor gasto e consumo de energia, utilização de energia renovável e transporte de massas. “São projetos adotados por algumas cidades que precisam ser analisados por nós, para que possamos adaptá-los à nossa realidade”.
Paulo participa do evento a convite da União Europeia e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Isso porque, no último dia 3, Goiânia foi convidada a integrar o rol de cidades mundialmente sustentáveis. O objetivo da Rede Urbelac de Cidades Sustentáveis é comunicar experiências de trabalho e servir de referência prática para outras localidades que visam o desenvolvimento urbano sustentável. A rede da qual Goiânia fará parte é composta por municípios que têm população estimada entre 300 mil e dois milhões de habitantes, situadas na América Latina, Caribe e Europa.
Já a integram as cidades de Bilbao (Espanha), Florença (Itália), Trujillo (Peru), Bucaramanga (Colômbia) e Manaus (Brasil). Todas se articulam para identificar estratégias e programas inovadores de desenvolvimento urbano sustentável e integrado, com ações específicas para as áreas de meio ambiente, requalificação urbana, geração de renda e gestão. Para Paulo Garcia, o encontro é importante por atestar que os problemas enfrentados pelas cidades da América Latina e da Europa são parecidos.
“Todas as cidades, independentemente de estarem localizadas na América Latina ou na Europa, de terem orçamento milionário ou menor, têm problemas semelhantes”, analisa o prefeito de Goiânia. “Evidentemente que as cidades localizadas nos países chamados desenvolvidos já superaram alguns obstáculos que nós estamos vivenciando agora”.
A coordenadora do encontro, Patrícia Torres, do BID, concorda com Paulo Garcia sobre os problemas semelhantes enfrentados pelas cidades, guardadas as especificidades. “Há muita relação entre as cidades. Há diferentes etapas de trabalho, mas os processos são similares”, diz. “Por isso, é factível que haja intercambio de experiências e é importante que os líderes e técnicos estejam imbuídos disso”.
Patrícia Torres afirma ainda que o que os administradores de cidades da América Latina mais têm a aprender com os europeus é o planejamento de ações de longo prazo. “Os municípios europeus têm mais tempo de história e mostram que as coisas não mudam de um dia para outro”. O Encontro “Rede Urbelac: Cidades Sustentáveis” ocorre na Colômbia desde a última terça-feira, 10.

 

Fonte: Diário da Manhã

Autor: Gisele Vanessa Carvalho


 




Veja mais...